Como é ser rycca!!!

Muita gente, que me conhece pela primeira vez – e mesmo alguns amigos de longa data que ainda não entenderam como a roda gira – me pergunta como é ser rica. Gostaria também de saber, minha filha, mas, infelizmente, os 10 conto que tenho na carteira, em notas de 2 – vamos passar uma caneta marca texto nesta informação “notas de 2” – não me dão elementos para responder a esta questão. Tenho até medo de andar com minha carteira Michael Kors (mara, por sinal) cheia de notas de 2 amassadas e de ser parada pela polícia, vão pensar que sou traficante de gente rica! Gezuis! O seu guarda não vai acreditar que euzinha assim linda, elegante, maravilhosa e praticamente com uma nuvem de ouro com gotas de diamante na cabeça, não sou traficante de porta de Fasano. Por isso, você aí recalcada e recalcado, que sente inveja da minha riqueza, pare! Mas não espalhe que dá azar e atrai mais pobreza! Bem que minha mãe dizia para não jogar sal na mesa 😂😂😂😂😂 praga de mãe tem poder!! 💴💶💷💵⬇️

Enquete: eu, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí???

Somos todos inteligentemente, burros!!! 

Vamos combinar que o mundo de uma pessoa burra é sempre, sem medo de superlativos, muitíssimo mais agradável do que de uma pessoa inteligente; principalmente porque enquanto o gênio está trancado em casa lendo ou vendo o documentário de cinco horas sobre o massacre das crianças albinas no Quênia, a pessoa burra está na vida, acontecendo e fazendo networking. Além do que, a pessoa inteligente é antissocial! Vai comentar com quem que viu o documentário de cinco horas sobre o massacre das crianças albinas no Quênia? Na aula de yoga, na academia, no elevador?? Não né! Vai comentar com seu grupo de três amigos em algum lugar sem luz! Enquanto isso, a pessoa burra vive a vida, conversa sobre tudo, ou bem, quase tudo, na verdade tudo sim, ela pode achar bem idiota alguém assistir ao documentário de cinco horas sobre o massacre das crianças albinas do Quênia, mas ela também fala sobre isso. E a pessoa inteligente, em todo seu esnobismo, fica sentada em cima de uma pilha de livros, com a cara cheirando a traças, sem entender o mundo que a cerca!!! NOSSA!!! Essa pessoa que achava que era inteligente, é burra!!! Genial!! 🎉🎉🎉🎊🎊🎊 Somos todos inteligentemente, burros!!! 🐴🙈🙉🙊

Enquete: você viu o documentário de cinco horas sobre o massacre das crianças albinas do Quênia, vai ver ou nem pensar? 

A arte de ser um gringo nativo! 

Não é preciso microfone ou celular ou qualquer outra forma de comunicação além da própria voz! Bem alta, quase uma briga, acompanhada de muitos gestos e xingamentos! Se você reconheceu a cena, sim, você já presenciou ou vivenciou uma típica conversa italiana, ao menos dos italianos abaixo da linha de Roma, mesmo que sejam tupiniquins! Nascer em uma família italiana é um experiência única, crescer nesse meio então, uma marca para o resto da vida. É possível explicar, mas só entende quem é filho de duas pátrias, de culturas diferentes, ao menos, podem ser até mais! Nordestinos em SP, sírios no Brasil, japoneses, russos, austríacos, paraguaios, chilenos, é uma infinidade de pessoas confusas, mas felizes, que são lembradas a todo momento que não fazem parte nem de um mundo, nem de outro, embora seus corações não consigam abrir mão de nenhum dos dois. E não é só no jeito de se comunicar, está também na comida, nas roupas, nas piadas internas, no jeito de encarar a vida e, bem, claro, na cara! Quando se é forasteiro, residente e nativo, na adolescência, a vida parece um inferno, principalmente se você cresce em um meio não de imigrantes, mas de classe média que renega suas origens pobres. Mas, com exceção desse interlúdio dramático, o resto da vida é muito divertido e harmonioso – não que, por exemplo eu, já tenha chegado lá para saber! Ao contrário do que um adolescente despatriado possa pensar, quanto mais influências, melhor! Mais idiomas, mais culinária, mais cultura, mais sabedoria, mais experiências, mais vida!! No fim das contas, não importa de onde venha seu DNA porque noi siamo tutti buona gente!! Un brindisi alla vita!! 🍻🎉

Enquete: você é daqui, dali ou de qualquer lugar? 

Ah, libera a veia!

Minha mãe é um assunto corriqueiro em minha existência. Tem quem diga que pega mal porque já tenho uma idade avançada para ficar na barra da veia, mas, tô andando e cagando para o que os outros pensam né – ou não escreveria esse blog! Dã! – voltando ao assunto. Dizem que pior que mãe italiana é a mãe judia. E quando a mãe é italiana com um toque hebreu? Opção a) se mata, gata! Opção b) Gezuis, Maria, Maomé, David e Alá!!! Opção c) é, tá fudida 😂😂😂! Não que tenha do que reclamar. Imagina. Minha mãe já escalou árvore, parou roda gigante com uma mão só, subiu em escorregador pela contra-mão e faz 5 km em dois minutos. Então, né, libera a veia. Mas, esse mesmo ser humano sem noção, como toda mãe, diga-se de passagem, tem um clássico em sua existência. Estava eu em meu momento adulta rebelde alternativa, fazendo um mochilão pela América do Sul, quando aviso a mamma que no dia seguinte iria VER o Aconcágua, praticamente com binóculo, de tão longe. Minha mãe não aceita muito bem a ideia, mas não quer botar água na minha fervura, então pega leve e diz: “vai filha, mas não esquece de levar um casaquinho se você for subir no Aconcágua!” 😱😱😱😱😱😱😱 Gezuis, Maria, Jevoah, como não amar essa criatura tão sem noção!! 🇧🇷🇮🇹🇮🇱❤️👵🏼

Enquete: você levaria um casaquinho se fosse escalar o Aconcágua; ia preferir um moletom ou um cachecol?

Carta aberta ao meu coração! 

Hoje vi a notícia sobre a pessoa mais velha da Escócia, com 109 anos. O segredo para a longevidade, explica a senhorinha, além de comer muito mingau e fazer exercícios, é manter uma distância segura do sexo oposto! “O meu segredo para uma vida longa foi ficar longe dos homens. Eles causam muito mais problemas do que realmente valem”, declarou Jessie ao Daily Mail. Aí me identifiquei na hora! É verdade, nós que gostamos de homens, sejamos mulheres ou não, passamos muito tempo de nossas vidas pensando nos dito cujos. Dá, realmente, muito trabalho! Podia ter lido mil livros a mais, ter visto 500 filmes, ter andado horas e horas de bicicleta, mas estava lá na mesa do bar ou do café alugando o ombro amigo de alguém muito paciente! Algum lado bom nesse drama todo tinha que existir não é mesmo, pelo menos que seja a longevidade! Por outro lado, é triste pensar que viverei décadas e mais décadas superando a angústia de relacionamentos que morrem na praia, a ilusão de um amor que nunca existiu, a dor de mais uma e mais uma separação. Já faz tanto tempo que passo por isso que só de pensar em mais anos que virão, me vira o estômago. Felizmente sou uma pessoa atlética, nada sedentária, inteligente e terei uma vida saudável e feliz ao lado daqueles que me amam, mesmo que nunca ao lado daquele que me ame. É tudo tão comum, tão repetitivo que já criei até um padrão de abstinência de sentimentos, me divertindo com o efêmero, com aquele nano segundo em que dois seres se encontram e tudo é mágico; depois o dia chega, e pior que a Cinderella, tudo acaba e recomeça em outro olhar. As promessas já conheço todas de cor: nunca conheci alguém como você; você é especial; “por onde for quero ser seu par”, e todo esse blá, blá, blá que ouço, dou um meio sorriso e finjo acreditar, pelo menos por uma noite, porque depois do mel, em questão de um ou dois meses, vem o fel! Não é você, sou eu; você me assusta; não sei lidar com você, toda sorte de desculpas mal traçadas que já conheço de outros carnavais! O bom de tudo isso, não há mais choro, nem tanta dor, nem ilusões partidas, apenas a certeza de que a profecia se concretizou. Pensar que será assim para o resto de uma longa, bem longa vida, é triste; mas é assim que é! Sem dor, sem ilusão, sem paixão, apenas resiliência! O que importa é que a vida foi feita para ser vivida, mesmo que as alegrias sejam eternas em seus raros momentos de dor! 🌹

Enquete: aceita que dói menos; o choro é livre ou deita na BR, gata!