Às favas com essa porra de príncipe encantado!

Como quase sempre e, apesar dos mais de 300 canais da TV a cabo, não tinha porra nenhuma para ver na TV domingo. Depois de pedalar mais de quatro horas por SP, em um calor da desgraça de 33*C, só queria ver TV pra embalar meu sono e descansar as pernas. Mas como não tinha porra nenhuma, resolvi ver um filme idiota de amor com príncipe e plebeia. Aí entendi porque sou uma solteira convicta e não procuro nem quero encontrar um príncipe encantado para chamar de meu! A besta da menina se apaixona pelo príncipe, sem saber que o cara é da realeza. Ela americana e espontânea e ele, europeu e nobre. Aí ele leva a ogra da menina pra conhecer sua família na casa real e sua mãe se une a sua ex-peguete, que é duquesa ou algo assim, para sabotar o romance do nobre com a americana ogra! Até aí, nada demais! O mesmo clichê de sempre! Até que o príncipe chama sua amada para dançar, a ex se mete e rouba ele, a americana plebeia se afasta e vai até a cozinha desabafar com seus amigos criados e quando volta vê o bofe super animadinho confraternizando com a ex nobre! Seus olhos se enchem de lágrimas e ela vai embora com a certeza que lá não é seu lugar, que seu príncipe merece uma nobre e não ela! Aí me pego reclamando: “porra de mina idiota! O cara não está apaixonado por ela, não levou ela até a porra do palácio, então vai lá, faz um barraco, põe ele no seu devido lugar e fala: ‘se era pra ficar escurnaquiando com sua ex, por que diabos me trouxe aqui?'”. Mas aí, no filme, ele vai atrás dela, diz que a ama e que vai protegê-la e a pede em casamento! Ela, muito magnânima, diz que ele merece alguém do mesmo nível dele e, que obviamente, não é ela! Mas que porra é essa? Aí percebi que ela fez todo esse cu doce, toda essa cena mela cueca pro cara ir atrás dela achando que precisa defendê-la das pessoas malvadas do mundo! Tem dó né! Fala sério!  Se o cara gosta dela a ponto de levá-la para conhecer sua família e ainda a pede em casamento, por que todo esse chororô? Falta de autoestima, muita masturbação sentimental! Não dormi e fiquei com raiva do filme! Até quando as mulheres serão representadas por personagens idiotas que se fazem de pobres coitadas para que os idiotas dos príncipes encantados pensem que elas precisam deles para as salvarem? Cadê uma personagem inteligente, forte e que, se está com um homem ao seu lado, é porque gosta dele e não porque precisa dele! Está cada vez mais difícil me alienar do mundo! Ainda bem! 😎🙋🏻❤️🙋🏻

Enquete: esse príncipe é idiota, a mina é abobada ou essa porra de filme não deveria nem existir?

Visitando a Marquesa de Santos em uma tarde de domingo! 

Estava dando um rolê de bike pelo Pátio do Colégio, no centro de SP, e me deparei com uma invasão de gringos gatos, tive um mal súbito e fui pedir um copo de água com açúcar para minha amiga de longa data e, que há muito não visitava, a Marquesa de Santos, Domitila de Castro Canto e Melo, na certidão. A Marqui ficou puta por só ter lembrado dela por questões de interesse pessoal, mas foi só eu comentar a entrevista dela para o Mario Prata, que a Marqui mudou completamente de atitude! Ah a vaidade humana, como somos previsíveis, não. “O que achaste de minha entrevista?” (Somos íntimas, nos tratamos por tu). “Aquele mancebo atrevido veio me importunar em meio às minhas crises de enterocolite para dizer que era devassa!”. “Coloquei-o em seu devido lugar e cuidei do atrevido como ‘il faut'”! “Nossa, se vai fazer discurso, vou pegar umas pipocas” (pensei em voz alta!) “Como dizes? Vais o que?” “Às favas com as suas maneiras grosseiras!” “Nem parece uma dama!” “Ainda bem!” hihihihi (ri baixinho) “Pela graça do ano do senhor!” “Olha, que tanta pilhéria, minha jovem!” “Para a puta que a pariu com todo esse mimimi!” “Marqui, agora sim reconheço minha parça! Desceu das tamancas hein, bi!” “Que seja! Voltemos a minha entrevista para aquele jornalista – coloquemos assim – simpático!” “Mas, Marqui, quem não leu sua entrevista para o livro “Mario Prata Entrevista Uns Brasileiros”, não vai entender lhufas dessa conversa nossa que vai virar post no meu blog de crônicas!” “E, não, não vou explicar nada disso a vosmecê porque meu leitor compreende e é você quem vive na idade do onça, vixe, nem conheço gírias do século XIX, vais ter de te acostumar com essas do XX mesmo!” “Que seja!” (esbraveja a Marquesa) “Achei mara o resultado final, era preciso o povo brasileiro, finalmente, ouvir umas verdades sobre a minha vida e de meus compatriotas de História!” “Gezuis, Marqui, onde aprendeu a falar ‘mara’?” “A senhora aproveitou bem essa visita do Mario hein!” “Marinho não desgrudava de um acepipe branco, ficava enfiando os dedos freneticamente naquilo. Quando ele foi à casinha, fui ver do que se tratava e achei mara! Maraquesa!” Hahahahahaha (gargalha à la era Google) “Que seja!” (agora é a minha vez de perder a paciência!) “Voltemos às vacas mortas!” “Oi? Voltemos a quem, Moni?” “Marqui, não me chame de Moni, odeio isso! “Então não me chame de Marqui!” “Pegaste-me!” “E antes que eu acabe com seu português e o transforme nessa gíria maluca do século XXI, voltemos à entrevista!”. “Contei a Marinho sobre o Pedroca, como ele traçou minha irmã, o corretivo que dei nela… Pude colocar muitos pingos nos is!” “Marquisinha, fofa, acho que anda recebendo muita visita dos tiozinhos dos anos 60, quel linguajar! Só gíria e expressões da época do onça!” “Dizes o tempo todo ‘época do onça’ e a anacrônica sou moi?! Acorda, filha!” “Credo, Dodô, tá difícil de fazer o papo rolar assim, também não serei mais polida com você, o vernáculo que vá às favas, vou é giriar mesmo!” “Momô, tu não deves falar assim, não combina com seu perfil de rapariga bem criada!” “Desculpe-me, Domi, não mais acontecerá!” “Apenas desejo dizer-lhe que encontrei muita satisfação em sua entrevista para o Mario, aliás, o livro todo é pleno de ironia e conta os fatos históricos do nosso Brasil com muita sagacidade, entre bares, havaianas e torresmos!” “Só não curti a parte do torresmo, sabes que não traço um porquinho!” “Ora, Moni, estavas tão bem em suas pazes com o português!” “Foi mal! Vacilei!” 😱🚴🏻🏡🙋🏻💁🏻

Enquete: a Marquesa é mara, o Mario é Prata da casa ou a Moni é rapariga?

Para saber mais sobre o livro citado na crônica, não dê um Google, dê um pulo na livraria mais próximas, vais apaixonar-te pela experiência! 

Chuta que é macumba? Ou despacha que é Exú?

Nossa, as pessoas hoje em dia se estressam com tudo. Dias desses, um carinha do aplicativo de – coloquemos assim 😂😂 – “paquera” que participo, que deu match, mas nunca nem mandou um “oi, tudo bem?”, depois de semanas no limbo da listinha de combinações, me mandou um recado assim: “acordei com vontade de fuder”. Aí, eu respondi: “vai indo se fuder na frente”. E o caro ficou bravo! Oxi, a galera não tem mais espírito esportivo, porque já dizia o sábio que não sei quem é: “quem diz o quer, ouve o que não quer!”. Eu sou muito adepta dessa ideia, porque, agora, mais do que nunca, comigo é assim, falou, levou! Nem que não queira, minha boca anda tendo vida própria e depois fico sozinha lembrando de cada tarracada que dou, e tenho orgulho de ser linguaruda. Tenho uma boca, uma voz, meu ouvido funciona bem e não é penico, então, falou, levou! Aliás, esse mundo de aplicativos é cada um, que ainda faço um compilado com as maiores raridades – coloquemos assim 😂😂😂 – e publico aqui. E vocês, responderiam o que ao convite do cavalheiro que acordou querendo? 😝😁💤

Enquete: É match? É furada? É zica? Ou chuta que é macumba?