Arquivo de etiquetas: pensamento

Agora meu snapchat funfa e o que eu faço com isso?!

Tive a genial ideia de pesquisar no Google “snapchat iPad” e, finalmente, 😱👊🏻 baixei o app no meu iOS, porque ele nunca aparece na “lodginha” da Apple. Vai saber por que, não é mesmo! Nem vou entrar no mérito da teria da conspiração que me persegue no mundo tecnológico!! E, agora, sim, (todas as vírgulas que eu puder colocar, sim) estou inclusa nesse maravilhoso mundo do compartilhamento da privacidade da geração Y! Mara! Bom, pelo menos de duas blogueiras, a Vic Ceridono e a Camila Coutinho, porque as outras celebs que tento seguir, apesar de se dizerem públicas, não aparecem no meu feed (pode falar feed pra snapchat, produção?). Ou é outra teoria da conspiração, ou, o mais provável mas que nunca admitirei, estou fazendo algo errado. Prefiro acreditar que essas pessoas baixaram o app, mas não postaram nada ainda, em vez de assumir que deu ruim! 🤔😏 um passo, digo, snap de cada vez! 🤓 Então, agora faço parte desse mundo do snapchat e… sempre lembro do que a Daniela Falcão, toda poderosa da Vogue Brasil, disse sobre o assunto: o tempo é tão curto e temos que fazer uma curadoria nas redes que seguimos! Ver pessoas postando suas piadas internas, vídeos comendo ou passeando na rua, malhando e, pior, se divertindo em alguma festa, lugar ou momento que não fui convidado, não sei se é tão legal assim!  Tô de bicona virtual, ou seja, sem nem o direito de filar o goró alheio! 🙄 Não vi “vantaji”! Sabe o que parece, aquela sensação de ficar por último na hora da escolha do time na escola, vc vê todo mundo se divertindo, comemorando com os amigos e você está ali, largado e esquecido! Muito traumática essa história de snapchat; agora entendo porque minha “lodginha” da Apple não permitia que eu visse que o app estava disponível para ser baixado, era proteção e eu nem percebi! Deprê pós snap! ☠🦄👇🏻

Enquete: Filha, o que é snapchat? Paga pra entrar? Vale a pena ver a felicidade alheia e esquecer de viver a sua? 

O corretor automático tem vida própria, isso tem!! 

Se existe algo que define o mal da humanidade contemporânea é o corretor automático. Daqui a pouco, se já não existe uma pesquisa, alguma faculdade na Inglaterra ou Estados Unidos vai fazer um estudo mostrando como o estresse está relacionado às bobagens que o corretor nos impinge. Você escreve um puta texto esculhambando um cara idiota que não sabe escrever, e o corretor te trai. Quando vc relê, até sente as letrinhas  do corretor formando uma boca que fica rindo aos cântaros da sua cara. Você quer ser culta e usar palavras refinadas, esquece, porque tudo vira uma massa estranha que parece que foi escrita em esperanto. Palavras de outros idiomas, gírias, diminutivos, nada passa desapercebido ao corretor que insiste em ser automático e sintomático. Com certeza, deve existir um jeito de mudar isso, mas, ainda assim, acho que o corretor tem vida própria. Saca o Hall 9000, em “2001, Uma Odisseia no Espaço”? (se não saca, vai dar um Google!). 😒😤👀💻📝🔍💱

Enquete: suas três contentes; me anime; jabuti chef mói?